quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Faxina

O dia hoje foi de muito trabalho em casa. Início da faxina de fim de ano, quando costumo fazer uma revisão nas 'tralhas' habituais.
Não nos damos conta de quanta coisa realmente NÃO precisamos.
A cada ano  me desfaço daquilo que perdeu a utilidade.  É um exercício interno de desapego, de entrega,  de olhar para o que 'foi', conservando a secreta esperança de que seja sempre melhor o que está por vir.
O cansaço físico, esse aumenta a cada ano.

Ainda tenho muitos livros, embora já tenha doado uma boa parte. Ocupam espaço sim... e também preenchem agradavelmente meu coração e minha alma.  Alguns ficarão comigo até...  Depois - que importa? - , terão o destino decidido por outras pessoas.

Há muito mais.  Já comentei aqui mesmo  o meu hábito de guardar algumas coisas afetivas relacionadas à vida em família. As crianças se tornam adultos, o encanto vai diminuindo e aquele desenho feito por mãozinhas infantis, aquele caderninho enfeitado, aquele mimo feito na escola, tudo 'fica na casa da vó' e a 'vó' guarda com carinho, vai guardando, vai guardando...
Os adultos - as crianças de antes -  agora têm novos interesses (a tecnologia do 'admirável mundo novo')  espantando-se, entetanto, em 'como o tempo passa' e como tudo era 'diferente e engraçado no tempo da vó'. Esquecem-se - ou ainda não têm consciência - de que em pouco tempo estarão repetindo meus gestos e pensamentos de hoje.  "Circle of life".
É, o tempo, a vida, o amor, o desamor também; tudo, tudo passa.
Sei que estou 'passando'  e o meu olhar para trás é amistoso, agradecido, reverente.  As alegrias acabam por superar, em muito, os tempos difíceis ou tristes. Assim seguimos.

Por hoje, é isso.  A tarefa continua nos próximos dias.
Tenhamos todos um descanso merecido neste fim de ano - e que ano!...- em ´que pese a situação do país, do mundo.

Afinal,
Imagem relacionada

*            *            *


Ciclo da Vida

Desde o dia que chegamos ao planeta
E abrimos nossos olhos para o sol
Há mais a ser visto além do que já vimos
E mais a fazer do que já foi feito
Alguns dizem "devore ou seja devorado"
Outros dizem "viva e deixe viver"
Mas todos concordam juntos
Você nunca deve tirar mais do que dá

No ciclo da vida
É a roda da fortuna
É o salto de fé
É a banda de esperança
Até acharmos nosso lugar
No caminho a desbravar
No ciclo, no ciclo da vida

Alguns de nós caem pela estrada
Enquanto outros alcançam as estrelas
Alguns de nós navegam acima dos problemas
Enquanto outros tem que viver com as cicatrizes
Há muito para se conseguir aqui
Mais para se encontrar do que o que já foi encontrado
Mas o sol se move alto no céu azul safira
E mantém-se, ora grande, ora pequeno, neste ciclo sem fim
**

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Fim de ano...

As tragédias de todo fim de ano...

Dia muito triste para o universo do futebol no Brasil
Queda do avião que transportava o time Chapecoense  (SC), diretores da Associação e jornalistas.
76 pessoas morreram.

"Acidente
O avião que transportava a delegação da Chapecoense, para Medellín, local do primeiro jogo da decisão da Copa Sul-Americana, desapareceu do radar e sofreu um acidente em Cerro Gordo, nas cercanias da cidade de La Unión.
As informações foram confirmadas pelo próprio aeroporto da cidade colombiana na madrugada desta terça-feira (29).
O avião de matrícula CP2933 transportava 81 pessoas; entre tripulação, jogadores, comissão técnica, diretoria e vinte e um profissionais da imprensa. Até o momento, 75 mortes foram confirmadas pelas autoridades colombianas."

Imagem relacionada

*        *        *

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Fotoarte - Otacílio Rodrigues


Imagem de terça na quarta
Foto feita ontem em Resende às 13:56.

Arte: Otacílio Rodrigues


Detalhe:  helicópteros do 'manobrão' da AMAN

domingo, 6 de novembro de 2016

A vida ensina - Artur da Távola

Recebido da amiga Gabriella Machado, que mora em Sesimbra - Portugal.

A vida ensina
Artur da Távola


Se você pensa que sabe; que a vida lhe mostre o quanto não sabe.
Se você é muito simpático mas leva meia hora para concluir seu pensamento; que a vida lhe ensine que explica melhor o seu problema, aquele que começa pelo fim.
Se você faz exames demais; que a vida lhe ensine que doença é como esposa ciumenta: se procurar demais, acaba achando.
Se você pensa que os outros é que sempre são isso ou aquilo; que a vida lhe ensine a olhar mais para você mesmo.
Se você pensa que viver é horizontal, unitário, definido, monobloco; que a vida lhe ensine a aceitar o conflito como condição lúdica da existência.
Tanto mais lúdica quanto mais complexa.
Tanto mais complexa quanto mais consciente.
Tanto mais consciente quanto mais difícil.
Tanto mais difícil quanto mais grandiosa.
Se você pensa que disponibilidade com paz não é felicidade; que a vida lhe ensine a aproveitar os raros momentos em que ela (a paz) surge.
Que a vida ensine a cada menino a seguir o cristal que leva dentro, sua bússola existencial não revelada, sua percepção não verbalizável das coisas, sua capacidade de prosseguir com o que lhe é peculiar e próprio, por mais que pareçam úteis e eficazes as coisas que a ele, no fundo, não soam como tais, embora façam aparente sentido e se apresentem tão sedutoras quanto enganosas.
Que a vida nos ensine, a todos, a nunca dizer as verdades na hora da raiva.
Que desta aproveitemos apenas a forma direta e lúcida pela qual as verdades se nos revelam por seu intermédio; mas para dizê-las depois.
Que a vida ensine que tão ou mais difícil do que ter razão, é saber tê-la.
Que aquele garoto que não come, coma.
Que aquele que mata, não mate.
Que aquela timidez do pobre passe.
Que a moça esforçada se forme.
Que o jovem jovie.
Que o velho velhe.
Que a moça moce.
Que a luz luza.
Que a paz paze.
Que o som soe.
Que a mãe manhe.
Que o pai paie.
Que o sol sole.
Que o filho filhe.
Que a árvore arvore.
Que o ninho aninhe.
Que o mar mare.
Que a cor core.
Que o abraço abrace.
Que o perdão perdoe.
Que tudo vire verbo e verbe.
Verde. Como a esperança.
Pois, do jeito que o mundo vai, dá vontade de apagar e começar tudo de novo.

A vida é substantiva, nós é que somos adjetivos.

*            *            *

Sugestões

Prefiro a palavra 'sugestões' em lugar de "conselhos", mas concordo com o texto e - desculpem - posso realmente assinar embaixo. Tenho bem mais de 60!
**
"20 conselhos de pessoas com mais de 60 anos:
Há pouco tempo foi realizada uma pesquisa com pessoas com mais de 60 anos. 
O tema era ’Que conselhos você daria aos jovens de hoje em dia?’ 
Aparentemente uma pergunta simples. As respostas, por outro lado, foram bastante inesperadas.

Resultado de imagem para pessoa na cadeira de balanço

1. As pessoas sempre dizem: ’Um bom trabalho é aquele que te dá prazer todos os dias’.
Essa afirmação é completamente falsa. Um bom trabalho é aquele que você não aguenta a maior parte do tempo, mas que paga as contas. Ninguém trabalha com algo que dá prazer o tempo todo.

2. Os anos passam num piscar de olhos. Não se case jovem.
Viva a vida de forma plena. Viaje. Mexa-se. Não importa se você tem ou não tem dinheiro, faça uma mala e vá até onde puder.

Se você ainda não tem filhos, não gaste dinheiro com coisas. Conheça o mundo. Escolha um lugar no mapa e...BORA!

3. Não leve tudo tão a sério. Inclusive quando você estiver desesperado e não conseguir ver uma saída, tente rir dos seus problemas e as razões que te levaram a esta situação.

4. Um amigo é aquele que vai te ajudar até mesmo de madrugada. Os outros são apenas conhecidos.

5. A pessoa mais importante da sua vida é aquela que quer dividir com você a vida dela. Tenha isso em mente.

6. Você não pode imaginar como os filhos crescem rápido. Portanto, fique com eles o máximo que puder.

7. Ninguém em seu leito de morte lamentou ter trabalhado pouco. Seja trabalhador, mas não coloque o trabalho acima da sua família, dos seus amigos e, claro, de você.

8. Você pode viver uma vida longa ou curta, não dá para saber. Mas, seja como for, cuide da sua saúde na juventude.

9. Se você está cansado da vida, pare um pouco, pense no momento atual e aproveite o que é belo e importante. Respire fundo e relaxe. Tudo é relativo.

10. Coma e treine como se fosse um diabético com problemas cardiácos. Desta forma você nunca será um.

11. Temos apenas uma vida. Cuidado para não acordar um dia e perceber que você tem 60 anos e não realizou o que havia sonhado.

12. Talvez este não seja um conselho muito profundo, não obstante: escove os dentes sempre. Problemas dentais são horríveis.

13. Não siga todos os conselhos como se eles fossem mandamentos bíblicos. Peça conselhos aos que te respeitam, avalie a sua situação e tome a sua própria decisão.

14. Coisas são apenas coisas. Não se apegue aos objetos materiais. Faça isso com o tempo e com os acontecimentos.

15. Os problemas de saúde que você tem agora repercutirão na velhice, mesmo aqueles que você pensa que já curou. Acredite!

16. Valorize cada momento e cada detalhe. Enquanto somos jovens, queremos tudo imediatamente. Mas por que não valorizar cada pequeno momento?
Não somos eternos, e o maior prazer que nos podemos permitir é aproveitar cada momento. Ao invés de mandar mensagens, pegue o telefone e ligue.
Visite a sua mãe, mesmo que não tenha um motivo especial para fazê-lo, apenas faça.
Absorva cada detalhe.

17. Pague todas as contas e fique longe de dívidas.

18. O ciúme acaba com qualquer relação. Confie no seu amor. Se você não confia nele, em quem mais você pode confiar?

19. Se você tem um sonho inalcançável, tente realizá-lo. A idade só vai deixar tudo mais difícil.

20. Quando conhecer uma pessoa, entenda que você NÃO SABE NADA sobre ela.
Nacionalidade, gênero, idade, roupa. Esqueça tudo isso. Os estereótipos que enfiam nas nossas cabeças apenas porque nossos cérebros adoram organizar tudo em categorias não servem para nada.
**
Autor: BOBBY POPOVIC


*            *            *

Mentiras em que acreditamos

10 tipos de mentiras em que continuamos acreditando

10 tipos de mentiras em que continuamos acreditando

Todos nós somos rodeados por noções estereotipadas sobre o que é certo e o que não é. 
Nos acostumamos a considerar essas noções verdadeiras e a viver presos a elas, apesar de, muitas vezes, isso acabar nos prejudicando.
O Incrível.club traz para você um artigo de Mark Chernoff que irá lhe ajudar a encarar as mentiras de frente.

Mentira #1. Estar solteiro é ‘sentir-se sozinho’
O fato de que agora você está solteiro não quer dizer que você esteja sozinho. 
Além disso, nenhum relacionamento é garantia de felicidade. 
Estando solteiro, você nunca estará tão sozinho quanto alguém que está no relacionamento errado. 
Se você entende que a vida ao lado daquela pessoa não lhe fará bem, o melhor é romper a relação e investir um pouco de tempo na pessoa mais importante da sua vida: você mesmo. 
Tente encontrar-se, recuperar sua autoestima. 
E, da próxima vez em que estiver num relacionamento prejudicial, você estará preparado para sair dele a tempo.

Mentira #2. A felicidade existe quando você tem tudo o que quer
O fato de você estar feliz não quer dizer que você não deseje nada. Você simplesmente sente-se agradecido pelo o que já tem, e espera pacientemente pelo o que ainda está por acontecer. 
Às vezes, nos animamos tanto com a ideia de ter algo maior que deixamos de perceber aquelas pequenas coisas que fazem de nossa vida algo mágico. 
Por isso, valorize o dia de hoje. Acredite, isso vale a pena. Pois ele é um daqueles ‘bons tempos’ dos quais você irá se lembrar com nostalgia durante a velhice.

Mentira #3. Se alguém está se sentindo mal, você perceberá imediatamente
Todos nós nos sentimos mal de vez em quando, sentimos medo ou estamos machucados. 
Só que alguns aprenderam a esconder tais sensações melhor do que outros. 
Não há como saber o que acontece por trás das portas fechadas de nossas almas, por isso, julgar as pessoas apenas por aquilo que você enxerga é uma perda de tempo e de energia. 
Se você tem tempo para discutir e julgar os outros, talvez tenha tempo livre demais. É melhor direcionar suas forças para algo mais digno.

Mentira #4. A vida deve ser vivida de determinada forma
Ninguém pode nos machucar mais do que nós mesmos. 
Porém, quando se machuca a alma, também podemos curá-la. 
Para isso, basta não sentir vergonha dos próprios pensamentos e ser realista. Porque sempre há a escolha sobre como reagir diante das situações impostas pela vida. Ou seja, pare de tentar ajustar sua vida à ideia pouco realista que você tem em sua cabeça, e comece a aceita-la como ela é. 
Mude o que puder mudar, mude sua atitude diante das coisas que não pode mudar e siga em frente.

Mentira #5. Você precisa se parecer com alguém
Quando você para de se comparar com os outros, sem importar se são pessoas reais ou imaginárias, e quando deixa de se comparar com outras versões de você mesmo (que só existem na sua cabeça), aí então você começa a viver tranquilamente, e apenas esta tranquilidade é real, sem nada de ilusória.

Mentira #6. A vida realmente feliz é para poucos
Se, a cada manhã, você acordar com as palavras ‘hoje, um dia excelente me espera’ e, ao deitar, pensar no quão belo foi o seu dia, então daqui a alguns anos você poderá lembrar do passado com um sorriso no rosto e dizer: ‘minha vida foi maravilhosa’.

Mentira #7. Não precisamos de tempos difíceis
Às vezes, para alcançar a felicidade, é preciso passar por um verdadeiro inferno. 
Há situações em que, para conhecer as pessoas adequadas, você precisa desfazer-se daquelas que já não deveriam estar em sua vida. 
Muitas vezes, para entender o que é ser forte, é preciso sentir fraqueza. É preciso sentir como se sua alma se quebrasse em mil pedaços para conseguir ser uma pessoa completa. 
Às vezes, para encontrar a pessoa certa para passar o resto da sua vida, você precisa atravessar verdadeiras multidões. 
Às vezes, temos de receber, de braços abertos, as coisas boas e as coisas ruins, sabendo que tudo nos traz experiências inesquecíveis no fim das contas.

Mentira #8. Ser forte significa não sentir dor
Na verdade, as pessoas fortes são aquelas que sentem dor, aceitam-na, aprendem o que podem com ela e superam-na. 
A essência da força está na determinação de fazer uma pausa, chorar, recuperar o ânimo e voltar ao ringue, para lutar como nunca se lutou antes.

Mentira #9. Mentir por pena é algo bom
Antes de dizer ‘Eu te amo’, você tem de sentir o amor. 
Arrependa-se de verdade ao pedir perdão. 
Acredite, quando suas palavras estão baseadas em um sentimento verdadeiro, elas tocam profundamente os corações das outras pessoas.

Mentira #10. Sonhar é uma perda de tempo
Os melhores presentes são aqueles que os olhos não podem ver, mas que nosso coração sente. 
O que vemos é apenas uma pequena parte do que é possível. 
A imaginação é a habilidade de ver além do horizonte, imaginar o que realmente nos importa, ainda que esteja fora do nosso campo de visão. 
Algum dia e em algum lugar, algo incrível definitivamente espera por você, se o seu sonho for possível de ser alcançado.
*            *            *

Fonte: Cluber 
Tradução e adaptação: Incrível.club

'Mea culpa' sem jeito...

Resultado de imagem para vovó digitando no computador

A autocensura é um dos piores tipos de violência e hoje a pratiquei por duas vezes no facebook, ao deletar (ou excluir) também o texto abaixo e trazê-lo para o blog:

"Mea culpa"
É claro que sou velha. Não me preocupo com o envelhecimento físico. Ele é irreversível, mesmo com toda a tecnologia à nossa disposição. Faz parte da vida.
Nem por isso, entretanto, me deixo levar pelo descaso ou abandono dos cuidados normais.
Agora, o que me preocupou foi a minha própria atitude de deletar uma postagem que fiz porque percebi que desagradou a alguém novinho e de quem gosto muito.
Uma bobagem, esse face é frequentemente depositário das postagens mais absurdas, leio tudo e retenho o que me interessa. Não me ofendo, não discuto, não entro na paranoia.
Mas hoje, não sei por que, voltei atrás...
Acho que o coração está envelhecendo,

*            *            *

Resultado de imagem para AMENDOEIRA NO OUTONO

Apareceu no facebook uma postagem perguntando "O que você diria hoje para você mesmo quando era jovem?" (ou algo parecido).
Não respondi quando vi e a postagem 'sumiu'... 
Então, lá vai a resposta com o texto de DRUMMOND no final da crônica 'Fala, amendoeira' :

(...)
"Repara que o outono é mais estação da alma que da natureza.
- Não me entristeças.
- Não, querido, sou tua árvore-da-guarda e simbolizo teu outono pessoal. 
Quero apenas que te outonizes com paciência e doçura. 
O dardo de luz fere menos, a chuva dá às frutas seu definitivo sabor. 
As folhas caem, é certo, e os cabelos também, mas há alguma coisa de gracioso em tudo isso: parábolas, ritmos, tons suaves... 
Outoniza-te com dignidade, meu velho."
**
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

*            *            *

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Primeira chuva de verão - 2016

P&B  por  OTACÍLIO RODRIGUES
Imagem de quinta (03/11) na sexta

Foto feita ontem em Resende às 16:56.

**

Imagem de quinta (03/11) no sábado

Foto feita anteontem em Resende às 17:00.

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Magia


"Traz a saúde a este corpo,
Sana a mente e a alma ao cantar.
Faça com que sinta-me  nova,
Cheia de força e de bem-estar."


Mas será que há bruxas de verdade ainda em peno século 21?
A resposta é positiva. A maioria das bruxas modernas é do bem. É claro que sempre existirão as “trevosas”, só que uma bruxa de verdade tem bom coração, caráter e ética para trabalhar e fazer suas magias.

As bruxas têm origem nas antigas sacerdotisas que entendiam a Natureza, seus ciclos, sua força e mensagem. Praticavam seus ensinamentos em rituais que muitos chamam de bruxaria.

Ir à origem da bruxaria é o mesmo que retornar ao início da humanidade, quando os seres humanos começaram a despertar a sua percepção para os mistérios da vida e da Natureza.

As mais antigas obras de arte que representam figuras humanas são de mulheres mães.
Datando de 35 mil a 10 mil anos antes da era cristã, e descobertas por toda a Europa e na África, essas estatuetas de "Vênus", chamadas assim pelos arqueólogos, mostram a plenitude de formas da maternidade e a maturidade da natureza feminina.

Desde os tempos neolíticos, a prática da bruxaria sempre girou em torno de rituais simbólicos que estimulam a imaginação e alteram a consciência.
A primeira demonstração de arte devocional foram as Madonas Negras, encontradas em cavernas do período Neolítico.
As deusas da fertilidade foram os primeiros objetos de adoração dos povos primitivos.

As sacerdotisas druidas da Grã-Bretanha estavam divididas em três classes.
A classe mais alta vivia em regime de celibato em conventos. Essas irmandades alimentavam as fogueiras sagradas da Deusa e foram assimiladas na era cristã como monjas.
As outras duas classes podiam casar e viver nos templos ou com os maridos e famílias. Eram servas acolhidas nos ritos sagrados da Deusa.
Com o advento do cristianismo, foram chamadas "bruxas".
*
É preciso lembrar que antes de mais nada nós precisamos respeitar a energia da Natureza.
Faça uso dessa oração de poder  somente para grandes pedidos e obras, sempre com dignidade, coração puro e sem egoísmo ou quaquer sentimento negativo.


“Algo muito maior me rege. 
Algo muito maior me abre os caminhos. 
Este algo é Alguém, 
este Alguém é minha Mãe. 
Sou filha da deusa e não há neste mundo 
 quem possa contra mim. 
Sou indomada por ser filha da Grande Mãe. 
Ela comanda meus passos e me protege de tudo  
Sou livre, pois minha deusa assim me fez, 
de braços abertos pra liberdade. 
Sou forte, pois tenho a deusa comigo 
a todo instante, a todo o momento.
Sou poderosa, pois tenho a sabedoria das ancestrais, 
o conhecimento da arte e o dom da magia. 
A ti, Grande Mãe, venero e honro. 
A ti rogo, peço e suplico. 
A ti cultuo, saúdo e elevo. 
A ti conto meus segredos, 
choro minhas lágrimas e rio meus risos. 
Sou filha da deusa, sou filha de Gaia,  e assim, 
quem poderá contra mim?

Assim seja, assim se faça.”


***



Quem não tem medo das bruxas? 
Ao que parece, séculos depois da Inquisição, continuamos a gritar "brucia", do verbo "bruciare", do italiano, "queimar". 
Não é à toa que tantas mulheres tenham sido queimadas vivas e torturadas porque... bem, os papas eram melindrosos, temerosos de perder o status, o poder, os fiéis. 
Elas deviam fazer alguma coisa para provocar tamanha ameaça. 
De onde vieram tantas datas "santas"? De antigos rituais pagãos, como o de hoje, em que se celebrava o fim do outono e das colheitas para dar início ao inverno, período de recolhimento, e de orações aos ancestrais. 
Então temos o dia de finados e logo depois o Natal, que é sabido, foi uma data inventada pela Igreja por ser muito próxima do equinócio de 22 de dezembro.

Bem, voltemos às pobres mulheres mal faladas. 
Vamos ser sinceras: você sabe seduzir seu marido, ou seu amante quando quer, não sabe? 
Usar perfumes, maquiagem, lingerie. 
Sabe cozinhar algum prato encantatório, usando ervas e temperos. 
Sabe dançar. Sabe rir. 
Sabe sorrir quando precisaria é dizer um belo palavrão, então faz isso depois, escondida. 
Sabe rezar aos seus deuses e santos. 
Sabe embalar um bebê que chora. 
Sabe fazer aquela faxina pesada que todas sabemos como é. 
Sabe botar pra fora de casa um canalha imprestável. Nem que tenha que passar por uns apertos por uns tempos. 
Sabe se cuidar, na alegria e na tristeza. 
Sabe fazer silêncio quando o momento pede. 
Sabe honrar com seus compromissos. 
E sabe ouvir mentiras e mais mentiras todo santo dia, mas finge ser sonsa. A gente finge que é boba quase o tempo todo. 

A quem precisamos convencer de alguma coisa, afinal? 
Uma bruxa é uma mulher bem resolvida. 
Gostem ou não dela, ela segue seu rumo, pois está sempre muito ocupada com seus próprios negócios.
 É uma mulher livre, que deixa todo mundo livre também. 
E uma mulher dessa natureza, que não aceita ordens de ninguém, é um perigo não é mesmo? 
Pois é, ao que parece, continuam apedrejando, mutilando, amordaçando, estuprando, calando e impedindo que elas estudem, falem, trabalhem, escolham quando e com quem querem se casar. E se desejam ter filhos. Que perigosas essas mulheres! 
Que poder é esse que causam nos homens, no planeta inteiro?

 Deus abençoe todas as mulheres. 
As que se calam e as que deliberadamente perderam o medo de viver.

*            *            *

domingo, 30 de outubro de 2016

Aniversário

Um ano


Um ano. Um ano se passou desde que me mudei - de residênca, de cidade . Muita coisa mudou também  Umas ficaram melhores, outras nem tanto.  Mas posso continuar... aliás, é só o que me resta fazer.
Problemas vêm e vão e vêm.  O tempo todo.
Chatice é assim mesmo - vai e volta.

Não tenho problema de adaptação a lugar nenhum. "Em Roma, com os romanos".  De um certo modo, isso ajuda a viver.

Ainda que tenha alguma coisa a ser contada, novo lugar,  novas convivências, ainda assim não sinto vontade de registrar nada mais a meu respeito. Chega. Já escrevi demais, falei demais, confiei nas pessoas, no mundo, na vida.
Agora os verbos ficam mesmo no pretérito. Preferencialmente pretérito perfeito.
Foi, foram.

*               *               *