quarta-feira, 29 de agosto de 2012

BABOSA - A PLANTA QUE CURA TUDO...

Este post atende ao pedido de uma amiga.

 

 

Babosa

Escrito por PortalNatural
babosaPlanta medicinal, boa para a pele e os cabelos, fortalece o sistema imunológico, etc Além de beneficiar a pele e os cabelos, essa planta fortalece o sistema imunológico.
Há muitos séculos que civilizações do mundo inteiro consomem a babosa. Suas propriedades curativas são comprovadas pela ciência.
É uma planta rica em minerais e vitaminas antioxidantes que evitam o envelhecimento das células. Tem aminoácidos essenciais e secundários que regeneram e recuperam os tecidos, enzimas que atuam no processo digestivo, acelerando o metabolismo e, portanto, favorece a eliminação das toxinas e do colesterol. Outra substância, a acemannan, ativa o sistema imunológico na defesa contra vírus, bactérias e poluição ambiental.
A babosa também apresenta princípios ativos fitoterápicos que penetram na pele, hidratando e nutrindo. Seus componentes saponínicos e antraquinônicosagem como analgésico e antiinflamatório nas dores de coluna e outras dores. Os agentes alcalinizantes do sangue nela contidos, devido à normalização do PH, promovem equilíbrio fisiológico celular.
A FDA (Food and Drug Administration, dos Estados Unidos) admite que o suco da babosa tem no máximo 50ppm de Aloin, pigmento amargo de cor amarela e brilhante que está presente na casca e que deve ser estabilizado para o uso oral e local. A estabilização significa que a babosa está livre de contaminação por bactérias, fungos e vírus, como conservantes naturais e antioxidantes para proteger sua cor e paladar.
Propriedades:
Entre as inúmeras qualidades da babosa, destaca-se poderosa ação antipatológica, obtida por meio da estimulação do sistema imunológico, em casos de câncer de origem ionizante e biológico, gastrite e úlcera gástrica e duodenal, hipertensão arterial e problemas cardíacos, obesidade, artrite reumática e gota, artrose e osteoporose, prostatites e infecções ginecológicas, cálculos renais e vesícula biliar, alergias respiratórias como asma e bronquite e problemas dermatológicos como psoríase e aczema.
A babosa tem grandes benefícios quando usada externamente. Em forma de gel, 100% estabilizada, ela é incidaca para queimaduras, feridas incisivas, lesões por infecções bacterianas, eczemas e psoríase. Nesses casos, sua ação ocorre devido à penetração nas três camadas da pele, trazendo células hidratadas e oxigenadas para superfície, e removendo-as. A babosa que contenha elastina, colágeno e óleos essenciais é eficaz para hidratação e regeneração nutricional celular, resultando na perfeita manutenção da jovialidade da pele.
Por causa dessas propriedades, várias civilizações no passado homenagearam a Aloe Vera (a babosa) como dádiva à humanidade.
Na Índia, era chamada de cetro divino (as folhas apontam para o céu). Os chineses a chamam de Lu-Hui e a consideram boa para a saúde, longevidade e potência sexual. No Egito, em 1550 a.C., o papyrus ebers detalhava minuciosamente o valor medicinal da Aloe Vera. O herbário grego, Dioscorides (41-68 d.C.), afirma que a planta pode "induzir ao sono, fortificar o corpo, diminuir a barriga e limpar o estômago". Na Colômbia, é costume amarrar folhas de babosa nos pés e nas mãos de crianças para proteção contra mordidas de insetos. Tribos africanas, em epidemia de gripe, banhavam-se infusão de babosa para eliminar os germes. Caçadores esfregavam a babosa no corpo para disfarçar o odor da transpiração e passarem despercebidos pelos animais.
A babosa é um fitoterápico cujos benefícios possuem ampla comprovação científica.
Seu uso é também extensivo à veterinária.

**

Aloé, ou babosa, uma planta medicinal?

ALOÉ (BABOSA) UMA PLANTA MEDICINAL




Em cima: foto das folhas das 3 espécies de Aloé (babosa), apresentadas aqui,
















Fotos acima (2): Babosa ou Aloé Vera (barbadensis) em vaso


São muitas as virtudes que se atribuem ao Aloé, ou Babosa. É uma das plantas com maior fama e utilização, como Remédio Caseiro, como produto natural manufacturado, e tem uma infinidade de aplicações, que incluem: tratamentos internos, da pele, do cabelo, etc.


A planta é comum, fácil de obter e de preparar para ser usada.
Para alguns usos nem necessita de preparação.


Há quem tenha sempre à mão, em vaso, porque é recurso, barato e eficiente, para muitos problemas e acidentes, como queimaduras, por exemplo.

A babosa das fotos em cima é a que eu uso. É, sem sombra de dúvidas, a melhor e mais eficiente.
Para usar internamente, corto um pedaço da folha, com cerca de 8 a 10 cm de comprimento, tiro os espinhos, junto sumo de maçã e trituro. Também se pode juntar maçã e água e triturar.
Se me queimo, corto um pedaço da folha do Aloé, abro ao meio e coloco sobre a queimadura uma parte deixando a outra no frigorífico (geladeira), para substituir uma pela outra logo que começa a aquecer.
Também costumo abrir a folha do Aloé ao meio, retiro a maioria da polpa para o sumo e coloco a casca debaixo dos pés, dentro duma meia. Remove os calos, incluindo os calos moles, internos, se usada com insistência (durante vários dias); mas também se sente o efeito internamente.Convém conhecer a planta, saber distingui-la porque, tal como acontece com muitas outras plantas, há uma infinidade de espécies que respondem pelo mesmo nome, em regiões (ou fontes de informação) diferentes; e também há uma infinidade de nomes para uma mesma planta (ou família de plantas com propriedades semelhantes), conforme as diferentes regiões, países (estou a pensar no Brasil), etc.


Também existe uma infinidade de produtos, no mercado, alguns deles caríssimos, preparados à base de Aloé.


Noutra altura espero poder complementar este texto com alguns dos usos mais comuns e benefícios do Aloé.


Este blogue (blog) destina-se, só, a apresentar as plantas e suas características mais relevantes.

O Aloé das fotos em cima, Aloé Vera, tem folhas que, quando desenvolvidas, tem comprimentos que variam entre 45 cm e 55 cm ou mais.
















Um Aloé Arborencens (em vaso), foto em cima.


Em baixo o mesmo aloé, babosa, mas num jardim público



















A seguir, ainda o mesmo aloé, com as suas características flores de inverno, no parque de Monsanto. São plantas antigas que atingem mais de 1,5 metros de altura e com folhas enormes (relativamente a esta espécie).











Este aloé também é usado para tratamentos. No caso da planta em vaso, as suas folhas (desenvolvidas) têm comprimentos que variam entre os 25 e os 35 cm; nos parques ou jardins as folhas são bem maiores.



Mais uma espécie de Aloé (foto abaixo). As folhas têm comprimentos de, até, 10 cm (entre 7 e 10 cm) e também pode ser usado medicinalmente.

















Na primeira foto deste texto apresentam-se as 3 folhas destas diferentes espécies de aloé, para se perceber bem as diferenças entre elas.

2 comentários:

  1. maryfernandes2009@hotmail.com19 de agosto de 2014 16:09

    No japão,a babosa foi muito usada na guerra de hiroshima,para curar os soldados e como não tinha comida ,os sobreviventes comeram babosa ,pois praticamente,foi a unica planta que sobreviveu as irradiações,e não tiveram cancer,os que fizeram uso dela,e derão lhe o nome de "A planta que cura"o curandeiro silencioso"""""""

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito agradecida, Mary Fernandes. Sempre bom conhecer a história da humanidade; eu não sabia disto e gosto muito de aprender. Agradeço sua visita. Volte sempre. Abraço

      Excluir